3 lições que aprendi após a transição capilar

by - junho 30, 2023


Tem pouco mais de um ano que decidi encarar a transição capilar e aceitar meu cabelo natural. Minha última escova definitiva foi em fevereiro de 2022, oito meses depois eu encarava a tesoura para fazer meu big chop.

Desde então tem sido um período de muito aprendizado para mim, porque apesar do meu cabelo ser naturalmente cacheado, já faziam 10 anos que eu não lidava com ele. Na verdade nunca conheci realmente o meu cabelo, eu usei os alisamentos para não ter que encará-lo.

Listei 3 coisas que aprendi após a transição capilar para compartilhar o que venho fazendo e como estou lidando com a liberdade do cabelo natural.

Desenvolvi a paciência

Quando decidi iniciar a transição capilar, uma chave virou na minha cabeça, antes eu achava que a raiz do meu cabelo crescia rápido demais. Três ou quatro meses após o alisamento já era possível notar a raiz dos fios um pouco inchada devido ao crescimento do cabelo novo.

Porém, quando o objetivo se tornou deixar o cabelo crescer sem química, eu passei a achar que meu cabelo estava crescendo devagar demais. No terceiro mês após o último alisamento eu mal consegui ver o cabelo que havia crescido. Ou seja, conforme mudei a meta capilar minha percepção sobre o cabelo também mudou.

Meu cabelo após o último alisamento em fevereiro de 2022

E aí precisei desenvolver um dom que não vinha exercitando há algum tempo, a paciência. Quem está passando, ou já passou, por uma transição capilar entende o que eu estou falando. A gente passa a contar mês a mês o quanto o cabelo cresceu.

A ansiedade de ver os cachos se formando é enorme. Eu estava acostumada a resolver as questões do meu cabelo passando um dia inteiro no salão para sair de lá com ele liso e não ter que pensar mais nisso. Mas ter que esperar meses para ter o resultado que eu queria foi algo totalmente novo para mim.

Lembro que por volta do sexto mês da transição, eu simplesmente entrei no banheiro e cortei metade da parte lisa do meu cabelo. Tudo porque eu queria sentir que alguma mudança visível estava acontecendo nos meus fios.

Mas nem só de impulsos eu vivi naquele ano, também consumi muito conteúdo de mulheres que estavam na mesma situação que eu. Li muitos depoimentos, assisti centenas de vídeos ensinando texturizações e também acompanhei garotas que desistiram da transição e voltaram para o alisamento. Acompanhar esses conteúdos me ajudou a conter a ansiedade.

Eu super entendo quem decide não seguir na transição capilar, é um ato que exige dedicação e muita paciência.

Aprendi a cuidar do cabelo

Conforme o tempo foi passando eu entendi que ia precisar aprender a cuidar de um cabelo totalmente novo, do zero mesmo.

Quando eu era pequena minha mãe cuidava do meu cabelo, mas ela tem o cabelo liso e não sabia direito como tratar os meus cachos. Isso sem falar na pressão estética da época que ditava que o cabelo liso e sem volume é que era bonito.

Alisei meus cabelos quando tinha 15 anos e segui com os alisamentos até os 25. Sendo assim, eu nunca cuidei realmente do meu cabelo natural, ou alguém cuidava por mim, ou eu alisava.
Meu big chop em outubro de 2022

E parando para pensar até mesmo quando meu cabelo estava liso eu não cuidava direito. Eu fazia algumas hidratações, mas não me preocupava em escolher os produtos certos para os meus fios. Na minha cabeça o que importava era o cabelo estar liso e sem volume. Por conta disso sofri cortes químicos e meus fios já estavam fracos, ralos e sem vida quando decidi parar de usar alisamentos.

Enquanto meu cabelo natural crescia, eu mudei o foco e passei a consumir mais conteúdos voltados para mulheres cacheadas. Pesquisei muitas resenhas e indicações de produtos, descobri o que era scab hair e acidificação, li tudo o que eu podia sobre formas de finalizar o cabelo.

Foi esse período de espera que me fez perceber que eu precisava mudar minha relação com o cabelo e que a transição ia permitir que um relacionamento com as minhas mechas começasse do zero. Assim eu comecei a listar os produtos que eu queria usar, os ativos que meus cachos poderiam precisar e as formas de finalização que eu queria experimentar.

Quando a raiz do meu cabelo começou a ficar bem marcada, mostrando que o cabelo natural estava crescendo, eu comecei a usar apenas produtos próprios para cachos. Passei a fazer umectações e baixei um aplicativo de cronograma capilar no celular para monitorar cada passo no tratamento.

Hoje quando eu olho no espelho e vejo meu cabelo cheio de vida, com cachos saudáveis, me sinto muito feliz e orgulhosa dos cuidados que venho tendo.

Passei a ver beleza em mim mesma

Ouvir na infância que seu cabelo é ruim e ser alvo constante de piadas maldosas deixa marcas em qualquer pessoa. Lembro de passar a maioria do tempo com o cabelo preso, pois não sabia lidar com ele. Eu era uma criança tímida que tinha a autoestima abalada constantemente.

Deixar meu cabelo natural vir à tona significou enfrentar os fantasmas da época em que eu era um dos alvos preferidos do bullying. Foi um desafio para a minha autoestima e a resposta para uma questão que me perseguia constantemente: O quanto você se sente bem na própria pele?
Meu cabelo atualmente - Junho de 2023

Fiz meu big chop com 8 meses de transição, meu cabelo ficou curtíssimo, coisa que eu nunca havia feito na vida. Eu estava tensa e muito ansiosa, porque seria uma mudança muito radical da qual eu poderia me arrepender muito.

Mas quando o cabeleireiro finalizou meu cabelo e eu olhei pro reflexo no espelho, senti uma grande onda de amor-próprio invadir o meu peito, uma sensação que eu não experimentava há muitos anos. Eu me amei intensamente naquele momento e reconheci quanta beleza existia em mim e eu não percebia.

Cada vez que eu finalizo o cabelo de um jeito diferente ou quando noto como ele se comporta se eu mudo o creme para pentear, fico encantada. Todo detalhe é uma descoberta que me deixa toda alegre e meio boba.

Uma das grandes surpresas que tive na pós-transição foi descobrir o quanto eu amo o volume do meu cabelo. Uma coisa que me apavorava no passado se revelou uma grande fonte de poder e autoestima na minha vida. Quando meu cabelo tá muito definido e com pouco volume eu pego logo o pente garfo e trato de desgrudar os fios do couro cabeludo.

Conforme meus cachos vão crescendo, vou descobrindo outras formas de amar ainda mais a mim mesma e apreciar a minha beleza.

You May Also Like

0 comentários